sábado, 11 de março de 2017

Foco Psicopedagógico: Se permita SER e ESTAR em constante Aprendizagem.

A vida nos pede paradas, 
continuidades e reflexões para 
seguir confiante e perseverante 
no cotidiano nosso de cada dia.
Aprendizagem é o movimento que nos habilita,
 pois a cada acontecimento, seja reativo ou proativo, é o que de fato nos define.
Nossas reações e ações é o que nos edifica.
Estagnação, desespero e desânimo
 por ora nos domina.
Crises e dificuldades  nos oportunizam
 sofrer e também evoluir.
Mobilizar corpo, mente e sentimento é o que nos impulsiona em APRENDER  e  
nos fortalecer como seres 
em suas individualidades e no coletivo.
Aprenda sempre!
Se permita SER e ESTAR em constante Aprendizagem.
Afinal somos todos passageiros na VIDA nossa de cada dia!
Conte comigo!
* Rosangela Vali*






Imagem relacionada

quinta-feira, 9 de março de 2017

Síndrome de West

Resultado de imagem para sindrome de west
É uma forma grave de epilepsia que se desenvolve em crianças. O nome foi dado em homenagem ao médico inglês William James West, o primeiro estudioso a escrever sobre a desordem.
Relacionada à idade do bebê, esta síndrome geralmente se manifesta entre o terceiro e o décimo segundo mês. Possui diversas causas, sendo que a mais comum é a ligada a alterações orgânicas do cérebro causadas no pré-natal, no perinatal ou no pós-natal.
Estatisticamente comprovou-se que os meninos são mais afetados do que as meninas. Os sinais clínicos envolvem espasmos, atraso do desenvolvimento e traçado eletroencefalográfico com padrão de hipsarritmia. As crises provocam flexão da cabeça, abdução dos membros superiores e dobrar das pernas. São também frequentes pequenos gritos durante os espasmos. Cada crise dura cerca de alguns segundos, o suficiente para levar os pais à loucura.O diagnóstico pode ser um pouco complicado, pois os sinais se confundem com os de outras enfermidades. Porém, é de extrema importância que a síndrome de West seja detectada o quanto antes, já que é possível, por exemplo, evitar o retardo mental.
Agente causador
Grande parte das epilepsias está associada a alterações genéticas. Muitas não possuem, no entanto, as causas definidas. Alguns fatores podem levar a um quadro epilético, no caso da síndrome de West eles frequentemente estão ligados ao pré-natal, perinatal ou ao pós-natal.

Traumas na cabeça, doenças neurológicas, encefalites virais e outros acontecimentos do tipo podem levar a pessoa a desenvolver epilepsia. Lesões no período gestacional são as principais causas da síndrome em questão.

Como se descobre a doença (diagnóstico)Foi o Dr. West quem em 1841 descreveu as crises de seu pequeno filho. Esta é composta por movimentos descontrolados causados pelo excesso de atividade no cérebro. A síndrome de West é composta de diferentes fatores e alguns podem ter origem poligênica e outros origem ambiental. Algumas crianças choram antes e depois das convulsões, outras chegam a gritar. O período mais crítico é durante a noite ou na hora de acordar, quando os sinais se manifestam da forma mais cruel.
Diante destas características os pais logo devem buscar por ajuda. Quanto antes a síndrome for detectada, melhor ela poderá ser controlada. O profissional geralmente solicita um eletroencefalograma, ou EEG, para registrar a atividade cerebral de forma indolor. O registro é geralmente caótico e muito diferente do de uma criança considerada saudável.
Os espasmos produzidos pela síndrome de West não possuem causa única, sendo o resultado de inúmeras condições. Estas podem ir se manifestando com o decorrer dos meses e em algumas crianças podem nem mesmo ser diagnosticadas. Quando restam dúvidas com relação ao distúrbio o médico tende a pedir uma ressonância nuclear magnética, com a finalidade de buscar possíveis lesões. Após a certeza do caso, um tratamento adequado deve ter início o quanto antes, de forma a reduzir os danos que estão sendo causados.


Sintomas

Esta síndrome é composta por uma tríade de manifestações clínicas que envolve espasmos, atraso do desenvolvimento e traçado eletroencefalográfico com padrão de hipsarritmia. A criança apresenta crises constantes que duram em média alguns segundos, sendo estas piores durante a noite ou logo ao acordar. As características da crise são as seguintes:

Extensão e súbito elevar da cabeça;
Flexão das pernas;
Abdução dos membros superiores;
Grito ou choro durante os espasmos.
As contrações são simétricas e breves. Os membros superiores se movimentam para frente e para fora, enquanto que os músculos do abdômen se contraem. As crises diminuem com a maturação da criança, entretanto, tendem a voltar em média no quarto ou quinto ano de vida. Diante destes sinais é de extrema importância buscar por auxílio médico. Um profissional precisa avaliar a saúde da criança e verificar a melhor abordagem de tratamento. A grande maioria das doenças, quando precocemente detectadas, possui um prognóstico positivo.

Prevenção
A precocidade do diagnóstico é a forma mais eficaz de prevenção no caso da síndrome de West. A perda neuropsíquica pode ser reduzida de acordo com a intervenção do tratamento. É preciso que se busque logo por ajuda para que os danos possam ser evitados ou revertidos.
A hipsarritmia costuma desaparecer ou se transformar com o passar dos anos. Entretanto, quando não recebe o tratamento a criança cresce com problemas respiratórios, deformidades e até mesmo subluxação do quadril. Os espasmos podem ser devidamente controlados em casos mais amenos da síndrome.
O prognóstico desta condição é, mesmo em casos de tratamento precoce, bastante reservado. Poucas crianças crescem com desenvolvimento mental normal. No entanto, todos os esforços devem ser empreendidos na luta pela qualidade de vida. Diante dos sinais, não hesite em procurar por um médico. Muitas complicações podem ser prevenidas.


Tratamento
O tratamento clínico possui como alvo os espasmos. Hormônios são aplicados em apresentações injetáveis com a finalidade de interromper o quadro convulsivo. A medicação deve ser realizada sob rigoroso controle médico, pois afeta não somente o sistema nervoso central como todo o organismo da criança, incluindo o sistema imunológico. Em algumas situações as crises melhoram até mesmo em 72 horas. Pode haver recidivas, dependendo do estado do paciente e da gravidade e extensão das lesões. Anticonvulsivantes também exercem resultados satisfatórios.
O tratamento fisioterápico possui a finalidade de tratar as sequelas ou de diminuí-las o quanto for possível. As deformidades devem ser amenizadas, assim como a mobilização e o alongamento serão incentivados. O equilíbrio do pescoço e do tronco necessitam ser trabalhados. Aos poucos a criança vai se acostumando com o engatinhar, com o andar e com o sentar.
A hidroterapia tem sido muito indicada para o tratamento de síndrome de West. O calor da água da piscina auxilia no alívio da espasticidade e os movimentos ganham maior amplitude. O paciente aprende a respirar profunda e calmamente. Muitos dos transtornos da síndrome de West podem ser revertidos. No entanto, a perda causada no sistema nervoso central é o maior dos males. Pais devem ter atenção à atitude dos bebês. Diante de qualquer sinal estranho, não hesite em levar a criança a um médico especialista.

Fonte:
http://www.saudemedicina.com/sindrome-de-west/

segunda-feira, 6 de março de 2017

Novas Gerações+Educação+Aprendizado

Junção e mutirão pela novas gerações....diz Cortella.
Que façamos pontes que unam e não muralhas que separem.
Fica a reflexão e sugestão deste vídeo.
 *Rosangela Vali*

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!