DINÂMICAS de GRUPO



Sou adepta de uma ação individual e coletiva voltada a dinâmica nos movimentos que se entrelaçam...
Na escola como professora/educadora procuro facilitar ao máximo a prática dialógica com mediação, recursos, ações e avaliações, onde todos constroem juntos e registram essa construção, que na medida que vai formando sua identidade e história, vai simultaneamente se autoavaliando, elencando os progressos e ajustes necessários no desenvolvimento e resultados das metas programadas.
Gosto de trabalhar muito em grupo e com grupos.
Abordo nesta postagem o tema GRUPO, que foi adaptada e pesquisada por mim e quero compartilhar com todos vocês. Bom proveito! (Rosangela)


GRUPO NA ESSÊNCIA
É um resultado da dialética entre a história do grupo (movimento horizontal) e a história dos indivíduos com seus mundos internos, suas projeções e transferências (movimento vertical) no suceder da história da sociedade em que estão inseridos. 



Um grupo se constrói através da constância da presença de seus elementos, na constância da rotina e de suas atividades. 

Um grupo se constrói na organização sistematizada de encaminhamentos, intervenções por parte do líder para a sistematização do tema em questão.

Um grupo se constrói no espaço heterogêneo das diferenças entre cada participante: da timidez de um, do afobamento do outro; da serenidade de um, da explosão do outro; da seriedade desconfiada de um, da ousadia do risco do outro; da mudez de um , da tagarelice de outro; do riso fechado de um, gargalhada debochada do outro; dos olhos miúdos de um, dos olhos esbugalhados do outro; de lividez de um, do encarnado do rosto do outro. 

Um grupo se constrói enfrentando o medo que o diferente, o novo provoca, educando o risco de ousar. 

Um grupo se constrói não na água estagnada do abafamento das explosões, dos conflitos, no medo em causar rupturas. 

Um grupo se constrói, construindo o vínculo com a autoridade entre iguais. 
Um grupo se constrói na cumplicidade do riso, da raiva, do choro, do medo, do ódio, da felicidade e do prazer.

A vida de um grupo tem vários sabores... 
No processo de construção de um grupo, o líder conta com vários instrumentos que favorecem a interação entre seus elementos e a construção do círculo com ele. 

A comida é um deles. 
É comendo junto que os afetos são simbolizados, expressos, representados, 
socializados. 
Pois comer junto, também é uma forma de conhecer o outro e a si próprio. 
A comida é uma atividade altamente socializadora num grupo, porque permite a vivência de um ritual de ofertas. Exercício de generosidade. 
Espaço onde cada um recebe e oferece ao outro o seu gosto, seu cheiro, sua textura, seu sabor. 

Momentos de cuidados, atenção. 
O embelezamento da travessa em que vai o ao, a “forma de coração” do bolo, a renda bordada no prato... 
Frio ou quente? 
Que perfume falará de minhas emoções?
Doce ou salgado? 

Todos esses aspectos compõe o ritual do comer junto, que é um dos ingredientes facilitadores da construção do grupo. 
Um grupo se constrói com ação exigente, rigorosa do líder. Jamais com a 
cumplicidade autocomplacente, com o descompromisso dos envolvidos.
Um grupo se constrói no trabalho árduo de reflexão de cada participante e do líder. 
No exercício disciplinado de instrumentos metodológicos, educa-se o prazer de se estar vivendo, conhecendo, sonhando, brigando, gostando, comendo, bebendo, imaginando, criando; e aprendendo juntos, num grupo. 

VIDA DE GRUPO 

1. Vida de grupo tem: 
-Alegria, riso aberto, contentamento, folia, concentração. 
-Medo, dor, choro, conflito, perdição,desequilíbrio, hipótese falsa, pânico. 
-Entendimento, diferenças, desentendimento, briga, busca, conforto. 
-Silêncios, fala escondida, berro, fala oca, fria, fala mansa. -Generosidade, escuta, olhar atento, pedido de colo. 
-Ódio, decepção, raiva, recusa, desilusão. 
-Amor, bem querer, gratidão, afago, gesto amigo de oferta. 

2. Vida de grupo tem vários sabores: 
-Quente, frio, no ponto. 
-Doce? melado? cheiro de hortelã? 
-Castanha, chocolate, perfume de canela. 
-Salgado? Gelado, cheiro de maçã? 
-Palmito, frango, damasco. 
-Perfumes vindo da janela, lembrando o cheiro da vida vivida, gosto de hortelã. 

3. Vida de grupo dá muita ansiedade, quando não recebo o produto do conhecimento mastigado, pronto, pelo líder. Ele faz mediações com o objeto a conhecer, e se eu,saindo com meu reboliço, meu furacão interno (uterino?), minhas frustrações, ansiedades, POSSO CONSTRUIR, no meu silêncio-fala interna, minha sistematização. Depois, novamente voltando ao grupo, 
posso checá-lo, provocando um aprofundamento da mesma, ou não... 

4. Vida em grupo dá muita frustração porque, enquanto participante, tenho de romper com meu acomodamento quieto, autoritário... esperando “as ordens” do líder... e quando elas não vêm, descubro que SÓ EU posso LUTAR CONQUISTAR, CONSTRUIR, meu ESPAÇO... 
O líder pode possibilitar o rompimento da quietude, mas NÃO A AÇÃO DO CONSTRUIR, do conhecer. Essa, só o participante pode. 

5. Vida de grupo dá muito medo porque através do outro constato que sou “dono” do meu saber (e do meu não saber). 
Sou dono de minha incompetência, e portanto, RESPONSÁVEL pela minha BUSCAPROCURA de conhecer, de construir minha competência. 

6. Vida de grupo dá desânimo porque em muitas situações nos confrontamos com o caos: acúmulo de temas, processos de adaptação, hipóteses heterogêneas. 
Caos criador que nos demanda nova re-estruturação –organização. Procura da forma original própria e única adequada ao novo momento. 
Vida de grupo (ah!... vida de grupo...) 

7. Vida de grupo dá muito trabalho e muito prazer porque eu não construo nada sozinho; tropeço a cada instante com os limites do outro e os meus próprios, na construção da vida, do conhecimento, da nossa história

Grupo é... grupo 
A cada encontro: imprevisível. 
A cada interrupção da rotina: algo inusitado. 
A cada elemento novo: surpresas. 
A cada elemento já parecidamente conhecido: aspectos desconhecidos. 
A cada encontro: um novo desafio, mesmo que supostamente já vivido. 
A cada tempo: novo parto novo, compromisso fazendo história. 
A cada conflito: rompimento do estabelecido para a construção da mudança. 
A cada emoção: faceta insuspeitável. 
A cada encontro: descobrimentos de terras ainda não desbravadas. 

Grupo é grupo. 



EDUCAÇÃO E 
GRUPO NA ERA VIRTUAL


Atualmente, muitos trabalhos têm sido desenvolvidos usando Realidade Virtual (RV) que pode ser definida de uma maneira simplificada como sendo a forma mais avançada de interface do usuário de computador até agora disponível. Os avanços obtidos nesta área indicam que a mesma é bastante promissora para os diversos segmentos a ela vinculados, entre eles a educação. 

Uma definição um pouco mais refinada de realidade virtual é a seguinte : "realidade virtual é uma forma das pessoas visualizarem, manipularem e interagirem com computadores e dados extremamente complexos" (Kirner, 1996). Assim, pode-se dizer que realidade virtual é uma técnica avançada de interface, na qual o usuário pode realizar imersão, navegação e interação em um ambiente tridimensional gerado por computador, através de canais multi-sensoriais.O computador e as tecnologias disponíveis permitem a formação de grupos e seu trabalho em situações de tempo e espaço antes impossíveis sem tal tecnologia.

A formação de grupo oferece uma outra série de benefícios, tais como a interação com um conjunto de indivíduos diferentes, a maior diversidade de informações devido a existência de comunicação entre o grupo, melhor adequação aos diferentes perfis dos indivíduos, criando uma identidade grupal que reforça a manutenção e a formação de novos grupos.É muito importante o papel de cada professor como um motivador e facilitador para que esta troca entre todos para que ocorra de forma motivadora e adequada.

DINÂMICAS para Grupos com CORES!


A cor é uma das percepções que mais contribuem para a estruturação do psiquismo humano, proporcionando estados de ânimos específicos e nos ajudando a interpretar e a decodificar a realidade de modo inteligível, numa segunda ação, logo após ao ver.A capacidade de utilizar as cores em um processo de comunicação visual garante, subliminarmente, a absorção de ideias referentes ao contexto no qual está inserida.


Quero utilizar em minha prática algumas dinâmicas as quais  compartilho para conhecimento e aplicação de quem se interessar.Vale lembrar que 95% das atitudes humanas são movidas pelo seu inconsciente, portanto pelas emoções que são despertadas através de estímulos externos.Na elaboração, seja ele comercial, institucional ou pessoal, a cor passa de um simples detalhe do design para um importante item que dissemina o conceito como num todo. E isso pode ser muito útil para que haja destaque pela rede e garantir o sucesso.
Sabemos que as dinâmicas de grupo despertam a motivação, a interação e a superação possível  de obstáculos cognitivos,emocionais, físicos e motores.
Todos podemos estar interligados em cada dinâmica, adaptando, ajustando e aplicando conforme o perfil de idade, conhecimento e metas a alcançar do grupo.
Bom proveito! (Rosangela L. S. Vali) 


DINÂMICA “O REINO DAS CORES”

Objetivo:
Dinâmica de descontração e integração.

Procedimentos:
Todos de pé, formando um círculo.
Distribuir fitas com as cores: azul, amarelo, verde e vermelho.
Dividir o grupo em territórios
Coordenador da dinâmica deverá ser preferencialmente o narrador.

O REINO DAS CORES

Havia um reino muito distante e bem colorido. Ele era dividido em 4 territórios separados.
O azul.
O amarelo.
O verde.
O vermelho.
O território azul era bem alegre. As pessoas que lá moravam eram muito animadas. Adoravam bater os pés no chão. Esticar as mãos para cima e fazer festas. Sua bandeira era da alegria e seu grito de guerra era Ê Ê Ê Ê Ê Ê Ê ...
Já o território vermelho, além de quente devido a sua cor, era o território do amor. As pessoas que lá moravam eram muito afetuosas. Adoravam fazer cafunés nos vizinhos, ficar de mãos dadas, abraçar e até beijinhos. Sua bandeira era do coração e seu grito de guerra era Aah...
O território verde era ligado a natureza. As pessoas que moravam lá gostavam de subir em árvores, balançar nos galhos, caminhar pela relva, brincar de imitar animais como o cachorro, o galo, o boi, o gato e até os pulinhos do coelho. Sua bandeira era da ecologia e seu grito de guerra era oh!!!
Faltava então o território amarelo, da cor do sol, este reino era todo energia. E ela vinha do corpo. As pessoas que lá moravam eram energéticas, energizadas. Adoravam trabalhar com a mente e o corpo, gostavam de mexer o corpo, bater palmas, meditar e até passar energia para todos os outros territórios. Sua bandeira era da energia e seu grito de guerra era Rá!!!
Um dia organizou um grande encontro e propôs que os territórios se misturassem, pois cada um iria ter a oportunidade de trocar conhecimentos e fazer novas amizades. E assim aconteceu.
O azul foi correndo encontrar o verde e o amarelo foi de encontro com o vermelho. Cada um procurava dar a mão para alguém, pois assim sentiam-se protegidos. Depois de um tempinho, olha que rebuliço. O azul foi encontrar com o amarelo e o verde com o vermelho. Que legal!!! Logo, uma nova troca, o azul dessa vez foi de encontro ao vermelho e o amarelo ao verde. Com tanta alegria do azul, amor do vermelho, sabedoria do verde e a energia do amarelo, as pessoas não sentiam o tempo passar.
E o rei observando tudo que acontecia ao seu redor, emocionou-se, pois percebeu a alegria no rosto das pessoas. Então propôs que todos os territórios se unissem em um só território e que, daquele dia em diante, ficou conhecido como o “O REINO DAS CORES”. 


 Dinâmica Das Cores  

Objetivo: socialização, percepção e descontração; 
Material: papel crepom e fita crepe; Intensidade: leve;
Desenvolvimento: Antes de iniciar a dinâmica, o professor coloca no meio da sala vários pedaços de papel crepom, de cores diferentes. Exemplo: amarelo, azul, branco, vermelho. O professor pede que todos peguem 5 pedaços de papel de cada cor e peguem um pedaço de fita e cortem em pequenos pedaços, deixando colado na parte da frente da camiseta para ser usada quando necessário.
Agora que todos estão com os pedaços de papel e a fita, vamos começar a caminhar pela sala, olhando no olho dos participantes. O professor pede que rapidamente os participantes encostem a mão nas pessoas que tiverem algum objeto na cor branca, pode ser na camiseta, na calça, no tênis, etc… E fiquem parados por um instante, após o sinal continuam a caminhar e novamente que se encostem a duas cores diferentes. Todos estão mais socializados, vamos começar nossa dinâmica

O professor pede que todos caminhem pela sala com os pedaços de papéis nas mãos e olhem no olho dos seus colegas, sem que o colega note você vai colar um dos papéis que tem nas mãos, da cor que quiser e achar que combina com a pessoa que escolheu, pode colar em quem você queira os papéis que tem, e é claro você receberá também alguns papéis. Após um determinado tempo, o professor pede que os participantes joguem fora os papéis que sobraram nas mãos e tirem todos os papéis colados nas costas e segurem por um instante. O professor começa a explicar o significado da dinâmica e das cores. Cada cor tem um significado e expressa algo de positivo entre as pessoas que você escolheu. O significado de cada cor é:

Amarelo: amizade

Azul: sábio

Branco: paz e tranquilidade

Vermelho: alegria e descontração.

Comentário: O professor pode fazer adaptações conforme o grupo, e escolher as cores e o significado delas, está é uma dinâmica muito boa para a socialização.

           A vida é uma novidade vibrante!

Desenvolvimento: 
Sentados(as) em pequenos círculos (5 a 6 pessoas), cada participante pega um giz de cera de cor diferente da que o(a) companheiro(a) escolher. Ao som da música, cada um inicia um desenho, procurando expressar um problema ou uma ideia. Ao comando do animador, cada participante passa o desenho para a pessoa da direitarecebe o desenho da pessoa da sua esquerda (sem mudar a cor do seu lápis) e prossegue a atividadeobservando o que recebeu e completando o desenho com o que considerar oportuno para a solução do problema ou enriquecimento da ideia. Quando a folha com a qual cada participante iniciou a atividade, retornar às suas mãos, fazem-se os comentários e reflexões.

**Considerações que podem auxiliar:
*Permitir que o outro partilhe com você e que o(a) ajude.
*Se você for forte, nunca tenha tanto orgulho de sua força, a ponto de pensar que não precisa de apoio.
*Refletir: A minha cor foi importante para o outro? A cor do outro foi importante para mim?
*Mesmo com uma cor escura no momento, você pode expressar bons sentimentos. A força interior existe! O mesmo lápis que escreve o ódio, escreve AMOR.
*Cada um de nós tinha uma cor, mas o desenho que está conosco não tem apenas mais uma cor, tem outras cores.
Quando estamos abertos para receber o outro, a vida é uma novidade vibrante!

CARTAS COLORIDAS

MATERIAL:
1 velho baralho ( não de plástico) ou retângulos de 6 cm por 8 cm em papel cartão.
papel colorido ( há uma variedade à venda em papelarias)
cola
COMO FAZER:
1. Corte o papel colorido no formato das cartas ou dos retângulos. Quatro pedaços de cada cor.
Assim você terá um baralho supercolorido para jogar os seguintes jogos:
QUAL É A COR?
Este é um jogo de reconhecimento das cores. Misture as cartas e quando o participante escolher uma carta, deverá dizer como se chama. Uma a uma.
FORMAS E CORES
Pergunte aos participantes: Como é que você pode arrumar estas cartas? O que você pode desenhar com elas? Encoraje-os a serem criativos.

  

ELEFANTE COLORIDO


Uma brincadeira bem simples: alguém começa gritando a frase: "Elefante colorido", e o restante do grupo responde: "Que cor?", então alguém diz primeiro uma cor, e todos devem pegar em um objeto que possui a cor mencionada, o primeiro que conseguir pegar num objeto que contenha a cor vai "reger" a próxima partida.


                 Fantoches com Rolinhos Coloridos

Para colorir os rolos de papel higiênico: 
forre com páginas de revistas; pinte com tinta guache ou plástica; use cola colorida. Para pendurar as peças fure os rolinhos usando um furador - tipo de escritório - ou use uma agulha grossa - tipo de tapeçaria. Se usar a agulha, coloque algum apoio dentro do rolinho, para evitar amassá-lo.

Fantoches / Bonecos
Material:
1 rolinho para cada criança; retalhos de tecido, fios de lã, papel colorido, palitos de churrasquinho, sementes e botões, etc.. Cola e tesouras.
Coloque o material à disposição das crianças, para que criem seus personagens. Podem ser figuras "humanas" ou animais e o rolinho pode ser usado na vertical ou horizontal.
Você pode deixar a atividade livre, ou contar uma história antes e pedir que as crianças façam personagens da história, ou ainda, você pode dividir as crianças em grupinhos menores, e dar uma história para cada grupinho preparar - ou seja, fazer os bonecos e apresentar para as outras crianças.

Dinâmica das BOLINHAS!

Para aplicar como estratégia de grupo para integração, bem estar e estímulos positivos para nossas crianças, aprendizes de todos os dias em nossas escolas,divulgo aqui, esta dinâmica para nossos espaços pedagógicos.

Aproveite e conheça também a Autora desta dinâmica e de seu   trabalho da Pedagogia das Cores, a qual cria,desenvolve e orienta, a pedagoga, Solange Depera Gelles, no site a seguir: 
Logo
Estou aplicando a técnica postada e apresentarei devolutiva dos resultados obtidos e material aplicado.Se você quiser fazer e dividir a experiência aqui no blog, sinta-se convidado(a) e parceiro(a).
Você também pode acessar o vídeo que explica passo a passo.
Bom proveito!Assista, clicando abaixo:

      Dinâmica das Bolinhas Pedagogia das Cores

 Dinâmica e Mensagem para 

Pais e Professores!


Esta mensagem em vídeo ou texto, traz uma bela leitura de vida sobre a relação PAIS e FILHOS! Neste ano compartilhei com Pais em reunião na escola. Foi muito significativo e emocionante.Por isso recomendo a todos os profissionais que trabalham com grupos de PAIS. Disponibilizo o material e dicas de como poderá ser aplicado e adaptado por você.


DICAS:

*pode-se correlacionar a  posição dos pais junto aos filhos como o porto seguro na dinâmica de aprendizagem, onde devam ser o incentivo, o estímulo e o encorajamento para aprender a apreender na escola;

*promover espaço para comentários, troca de ideias e depoimentos de pais. Os relatos são surpreendentes e ótimas oportunidades para acolhimento, aproximação e parceria com a família;

*tornar este encontro positivo e um belo momento para a construção de combinados entre PAIS E ESCOLA(PROFESSORES) de como e o porquê da participação de todos na vida escolar do aprendiz;

*no final do encontro os pais presentes poderão pintar um barquinho ou confeccionar com dobradura, colocar o nome do(a) filho(a) e completar coletivamente um painel com mar, afixando os barquinhos, onde cada filho(a) no dia seguinte, deverá encontrar seu  barquinho e  pegá-lo  para si, como  sinal de presença (porto seguro) e comprometimento de seus pais.


Observação: Disponibilize no painel cópias ou dobraduras de barquinhos  sem colorir para todos os aprendizes com seus nomes, evitando o constrangimento e o pesar dos mesmos, pelos pais que não estiveram presentes à reunião. 


DESEJO um BOM TRABALHO a TODOS!

BOA VIAGEM!


                Vídeo: Filhos são como navios… (Içami Tiba) 


Texto: Filhos são como navios… (Içami Tiba)



Ao olharmos um navio no porto, imaginamos que ele esteja em seu lugar mais seguro, protegido por uma forte âncora.


Mal sabemos que ali está em preparação, abastecimento e provisão para se lançar ao mar, destino para o qual foi criado, indo ao encontro das próprias aventuras e riscos.

Dependendo do que a força da natureza reserva para ele, poderá ter de desviar da rota, traçar outros caminhos ou procurar outros portos.

Certamente retornará fortalecido pelo aprendizado adquirido, mais enriquecido pelas diferentes culturas percorridas.

E haverá muita gente no porto, feliz à sua espera.

Assim são os FILHOS.



Estes têm nos PAIS o seu porto seguro até que se tornem independentes.



Por mais segurança, sentimentos de preservação e de manutenção que possam sentir junto dos seus pais, eles nasceram para singrar os mares da vida, correr os próprios riscos e viver as próprias aventuras.

Certos de que levarão os exemplos dos pais, o que eles aprenderam e os conhecimentos da escola – mas a principal provisão, além da material, estará no interior de cada um:

A CAPACIDADE DE SER FELIZ. 


A FELICIDADE CONSISTE EM TER UM IDEAL E NA CERTEZA DE ESTAR DANDO PASSOS FIRMES NO CAMINHO DA BUSCA.



Os pais não devem seguir os passos dos filhos. e nem devem estes descansar no que os pais conquistaram.

Devem os filhos seguir de onde os pais chegaram, de seu porto, e, como os navios, partir para as próprias conquistas e aventuras.

Mas, para isso, precisam ser preparados e amados, na certeza de que

“QUEM AMA EDUCA”.

“COMO É DIFÍCIL SOLTAR AS AMARRAS”


Anexos: 


Sugestões de Modelos de Barquinhos para pintura, Dobradura para confecção e Painel para construção coletiva. 


Inspire-se, use e abuse de material diverso e de sua criatividade!





 




Na aventura de aprender, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e aprendizados na escola e na vida de cada aprendiz.

(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

3 comentários :

  1. amei seu trabalho. trabalho com crianças do 1 ano fundamental e 3 ano ano teria como vc mandar para mim atividades de artes( dobraduras etc) de raciocino lógico , o meu e -mail e : deboradealavarenga arroba.gmail.com. desculpe-me pois o meu arroba não funciona. obrigada

    ResponderExcluir
  2. Olá Débora!
    Obrigada pela visita e pelo carinho.

    Tenho um blog de Aprendizagem além do Psicopedagogia.

    Vc encontra nos dois atividades no menu acima e na lateral de cada blog.
    É só acessar e ver a página com atividades ou leituras.

    Clique na atividade, copie com o mouse usando o lado direito; salve em seu computador e de pois cole no word para imprimir.

    Fique a vontade.

    Beijos e até mais!

    Links dos blogs:

    http://rosangelaprendizagem.blogspot.com.br/

    http://rosangelavalipsicopedagogia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Professora Rosângela. Excelente trabalho!

    ResponderExcluir

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!